Este blog existe para postar comentários de postagens de blogs alheios, que pelo interesse, humor, inteligência e graça dos comentários, ganharam estatos de post.

sábado, 18 de setembro de 2010

CAVE CANEM do Antonio D´Noronha

Crítica da Razão Indefesa

AQUI
 
Eduardo P.L disse...
E ainda temos que ler coisas absurdas como essa! Viva a corrupção! Viva a censura da imprensa! Viva a ditadura! Somos muito tacanhas para viver numa democracia! Lamentável.
16.9.10
Excluir

Blogger Lengo D'Noronha disse...
Meu caro amigo, Eduardo. Se o texto for lido com calma sem ressentimentos, podemos notar que o Washington tem razão. Ele fala a respeito de JORNALISTAS. E o jornalista da grande imprensa hoje está se tornando mais um fofoqueiro querendo criar situações de escândalo sem fazer o básico da profissão: verificar fontes com precisão. É uma pena ver jornais de tamanho porte se compararando aos tablóides ingleses. Jornalismo não é publicidade. Abraço.
17.9.10

Blogger Eduardo P.L disse...
Meeu caro Antonio, o artigo e seu comentário se referem à grande imprensa! Ela é séria ( na nedidada do possível ) e o trabalho dos jornalistas brasileiros não é melhor nem pior do que os do resto do mundo. O que esta em jogo é a liberdade de imprensa e a única maneira de se controlar os políticos e funcionários públicos numa democracia! Os fatos recentes demonstram CLARAMENTE a importância dessas denúncias. Só os mau intencionados, ou partidários apaixonados pelo PT, não estão percebendo e vendo o aparelhamento, criminoso, que se esta promovendo das empresas públicas e repartições de governo. Isso poderá ter um desfecho lamentável, para a democracia e para o povo brasileiro. O futuro nos dirá!
17.9.10
Excluir

Blogger Lengo D'Noronha disse...
Veja um exemplo do que estamos falando: A pressa da mídia em fermentar escândalos contra o governo e, de tabela, atingir a candidatura de Dilma Rousseff, fez valer o ditado popular que diz que o "apressado come cru". Em nota à imprensa, o BNDES esclareceu o caso que foi manchete da Folha nesta quinta-feira e desmoronou a "denúncia" do jornal. Mais do que isso, expôs a Folha ao ridículo ao demonstrar, de forma simples, que só quem "desconhece totalmente" como funciona o Banco poderia acreditar numa acusação tão estapafúrdia. Folha mente O jornal avaliou que seus leitores iriam acreditar que qualquer empresa de fundo de quintal pode chegar no BNDES, protocolar um pedido na portaria e levar "R$ 9 bilhões" numa boa Em síntese e traduzindo em termos comuns, o que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) disse à Folha foi o seguinte: é preciso ser muito desinformado ou agir com descarada má-fé para acreditar que uma instituição como o BNDES liberaria R$ 2,25 bilhões (ou R$ 9 bilhões na versão-fantasia da Folha) para uma empresa de pequeno porte só porque ela contratou uma consultoria que "prometeu" ajudar na liberação do dinheiro, sem apresentar projetos, sem agendar reuniões, nem nada. Mas a Folha de S. Paulo, do alto de sua arrogância e desprezo à inteligência alheia, achou que seus leitores acreditariam na história, tanto que elevou a "denúncia" à condição de manchete principal do jornal. E com um agravante: a única "fonte" da Folha é um "empresário" que passou dez meses na prisão dois anos atrás. Segundo informações da própria Folha, o acusador Rubnei Quícoli já foi condenado duas vezes em São Paulo (por interceptação de carga roubada e por posse de moeda falsificada). E em 2007 passou dez meses preso. O fato de antecipar as denúncias sobre sua fonte não absolve o jornal. Pelo contrário, é agravante. Quando uma pessoa com tal currículo faz uma denúncia, é praxe de qualquer jornalismo sério ouvir as denúncias e exigir a apresentação de provas. Mas a Folha achou que o "acusador" era idôneo o suficiente para atacar o governo.
17.9.10

Blogger Eduardo P.L disse...
Caro Antonio, não tenho procuração, nem sou leitor da Folha de São Paulo, aqui em Imbituba. Me refiro à Grande Imprensa genéricamente. Veja, Folha, Estadão e Globo. Podem, e certamente erram, mas acertam muito mais! Não se pode pegar um caso isolado para denegrir a imagem dos JORNALISTAS, nem acusar a Imprensa de tendenciosa ou desonesta. Não podemos entrar nessa do presidente da Venezuela, e achar que para governar é preciso acabar com TVs e Jornais livres! É disso que se trata. Pelo menos da minha parte! E por essa razão não podemos nos levar por essas conversas e artigos que pregam o fim da imprensa livre! Erros sempre haverão. Mas antes eles, do que o silêncio contra os corruptos.